Educação

Chamada aberta até o dia 10/06 de 2020.

Temática/tema: A formação de professores alfabetizadores: olhares plurais.

Organizadora:

Nathália Cristina Amorim Tamaio de Souza  (Doutoranda em Educação/UNICAMP)

Lattes: http://lattes.cnpq.br/9265421109151956

Resumo:

A formação de professores alfabetizadores é um tema que se mantém em voga, tanto no universo acadêmico, pelas discussões em torno das demandas de formação inicial e continuada, como na esfera propriamente escolar, pelos docentes que diariamente se reinventam para enfrentar os percalços da profissão. Congrega reflexões sobre a relevância da formação institucional, promovida pelas universidades e cursos especializados e, também, da formação cotidiana, adquirida ao se transformar aprendizagens em práticas ou se apropriar de conhecimentos partilhados. Trata-se, portanto, de um assunto cujo consenso principal é a existência de olhares plurais.
Pensando nisso, esta chamada convida pensadores e práticos da educação a enviarem suas contribuições sobre os aspectos que constituem a formação do professor que assume a nobre e complexa tarefa de alfabetizar. Serão aceitos manuscritos que versem sobre: relatos de experiências em alfabetização; formação inicial e/ou continuada de professores alfabetizadores; e programas e políticas docentes para o professor alfabetizador.

Previsão para publicação: 10/09/2020.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com  contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada ABERTA até o dia 10/06 de 2020.

Temática/tema: O estágio curricular supervisionado nos cursos de licenciaturas: desafios e perspectivas.

Organizadora:

Elaine dos Reis Soeira (Professora/IFAL)

Lattes: http://lattes.cnpq.br/2699971179132910

Resumo:

Este livro digital pretende reunir artigos que discutam o estágio curricular supervisionado nos cursos de licenciatura, enfatizando experiências exitosas, desafios e perspectivas no trabalho com esse componente curricular tão importante no processo de consolidação da formação docente, que, por vezes, é relegado ao cumprimento da carga horária, desprovido de um planejamento e de um acompanhamento adequados. Assim, seria interessante conhecer as experiências que estão sendo desenvolvidas nas instituições brasileiras, a fim de possamos avançar na construção de práticas mais significativas e efetivas na formação dos novos professores. São aceitos relatos de experiência e pesquisas empíricas em nível de graduação e de pós-graduação que tenham como objeto de estudo o estágio curricular supervisionado em cursos de licenciatura.

Previsão para publicação: 10/09/2020.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com  contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada prorrogada até o dia 10/06 de 2020.

 

Temática/tema: Ferramentas tecnológicas em educação: propostas inovadoras no ensino de línguas maternas e estrangeiras.

Organizadores:

Sabrina Guedes de Oliveira (Unicarioca)

Daniel Rodrigues Paes Landim (UFPI)

Resumo:

No mundo globalizado em que vivemos, onde as tecnologias digitais oferecem tantas possibilidades de manipulações, é difícil dissociar esses novos recursos tecnológicos do aprendizado de línguas, sejam elas maternas ou estrangeiras, visto que essas ferramentas digitais estão cada vez mais presentes no cotidiano de nossos educandos. Nesse sentido, ao professor é outorgada a difícil missão de fazer a transição dessas tecnologias digitais usadas no cotidiano para contexto escolar, estabelecendo conexões entre o ensino e a tecnologia, objetivando com isso despertar o interesse dos educandos e potencializar o processo ensino-aprendizagem. Visando contribuir com as discussões sobre o presente tema e preencher parte dessa lacuna, receberemos trabalhos científicos que enfoquem os seguintes tópicos: desafios e potencialidades do uso de uma determinada tecnologia digital no ensino de línguas, novas perspectivas para o ensino e a aprendizagem em contextos digitais, tecnologias digitais e ensino de línguas na Educação Básica, gamificação, tecnologias digitais para ensino online e práticas educativas em contextos formais ou não formais de aprendizagem. Serão aceitos artigos ou ensaios de diversas abordagens: resultados de pesquisa concluída, relatórios de pesquisa em andamento, relatos de experiência em sala de aula, e revisões da literatura.

 

Previsão para publicação: 10/09/2020.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com  contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada aberta até o dia 20/06 de 2020.

 

Temática/tema: O educar artístico: o acontecer poético nas narrativas infantis, heroicas, sagradas e fantásticas.

Organizadores:

Me. Felipe Hilan Guimarães Santos (UFPA)

Professor Esp. Diogo Raimundo Rodrigues Santos (UFPA)

Resumo:

Ao nos debruçarmos sobre as narrativas vividas e registradas pelo ser humano, cabe-nos perceber que as questões que atravessaram, permanecem ou ainda irão nos atravessar, durante a jornada do próprio existir, podem ser transportadas para um fazer artístico-poético tecido entre a fantasia, o heroísmo, a infância e o sagrado.

É considerando tal travessia que esta chamada convida autores que queiram dialogar e publicar trabalhos, de forma interdisciplinar, articulando-se com as diversas áreas dos conhecimentos relacionados às áreas de humanas como: letras, artes, teologia, educação, filosofia e outras.

Serão aceitos artigos que abordem diversas manifestações e formas de arte, como literatura, cinema, quadrinhos, animes, entre outras, e que discutam os temas do fantástico, do heroísmo, da infância e do sagrado em uma perspectiva ontológica, poética, literária e/ou filosófica.

Previsão para publicação: 01/08/2020.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com  contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada aberta até o dia 30/06 de 2020.

 

Temática/tema: A leitura na escola: abordagem cognitiva e interacionista.

Organizadores:

Marcos Suel dos Santos (UFAL)

Maria Silma Lima de Brito (UFAL)

Resumo:

Esta chamada prevê discussões acerca da leitura e seus aspectos cognitivos e interacionistas, sedimentando-se nas perspectivas da Psicolinguística e da Neurociência. Sabemos que a leitura é uma atividade cultural e demanda o envolvimento de vários processos que ocorrem na mente do leitor enquanto lê o texto, requerendo, para isso, o domínio de habilidades que se iniciam pela percepção visual das letras até a ativação do conhecimento prévio. Entretanto, para que essas habilidades se efetivem satisfatoriamente, é necessário que o leitor domine proficientemente os processos de decodificação (bottom-up), fundamental no início da alfabetização, que, ao ser automatizado, se torna inconsciente ao leitor hábil, e os processos de compreensão (top-down), nos quais o leitor utiliza-se de estratégias de leitura. Estas só podem ser desenvolvidas se houver uma exposição constante e significativa de textos de diferentes e de variados gêneros textuais e de uma mediação e sensibilização do professor nas práticas de leitura em sala de aula.

Diante disso, o objetivo desta chamada é reunir trabalhos que discutam as práticas de leitura e os processos de ensino e aprendizagem da leitura em sala de aula, no âmbito da Leitura, Cognição e Interação. Serão aceitos textos que se inserem nessa perspectiva, sob a forma de discussões teóricas, resultados de pesquisa concluída ou em andamento, relatos de experiência em sala de aula e revisões da literatura.

Previsão para publicação: 01/09/2020.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com  contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada aberta até o dia 31/07 de 2020.

Temática/tema: Letramento Crítico na Prática.

Organizador:

Geraldo Emanuel de Abreu Silva (UFMG)

Resumo:

Este e-book visa a reunir trabalhos que abordem e proponham formas práticas execução e desenvolvimento do Letramento Crítico (LC) em salas de aula. A partir da premissa de que devemos formar cidadãos conscientes de seu papel na sociedade, que atuem ativamente para a mudança de cenários de injustiças ou inequidades, os trabalhos aqui propostos devem visar a auxiliar os professores na abordagem de temas relevantes para a sociedade e que possam contribuir a conscientização dos aprendizes, tais como discussões sobre gênero, sexualidade, classe, poder, machismo, racismo etc. Serão aceitos artigos e propostas didáticas, com embasamento teórico adequado, cujo foco seja o letramento crítico e os princípios da criticidade, que aportem propostas para a execução dos pressupostos do LC em atividades de ensino e aprendizado de línguas, sejam materna ou estrangeira. Espera-se este e-book contribua para a prática docente e amplie discussões acadêmicas sobre a formas práticas para a execução do LC nas escolas.

Previsão para publicação: 01/10/2020.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com  contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada aberta até o dia 31/07 de 2020.

 

Temática/tema: A leitura e os diversos textos:  perspectivas e reflexões para a poética do educar.

Organizadora:

Adriely Cristina Duarte da Silva (UFPA)

Resumo:

A chamada aqui proposta, “A leitura e os diversos textos:  perspectivas e reflexões para a poética do educar”, pretende provocar os autores(as) e/ou os leitores(as) para um pensamento poético-originário a respeito da leitura, afim de transpor práticas de ensino dominadas pelos conceitos advindos da tradição metafísica. Nesse interim, cabe nos questionar: O que é a leitura? Quais são as suas questões essências? Se partirmos do educar poético como dialética de questões e obras, entenderemos que uma leitura aberta às questões (o que é o sagrado? O que é a vida? O que é a morte? O que é a liberdade? entre tantas outras dentro das quais todos nós habitamos porque todos vivemos, morremos e pro-curamos a felicidade) se pastoreia ao pensamento e à própria dinâmica de consumação do humano- é a principal dança que deve mover os viandantes. Nos dizeres de Pindare (1922): "No fundo, somente há o verdadeiro e único educar, quando se leva cada um a se apropriar do humano que é com o humanos, isto é, do que lhe é próprio ou simplesmente do que é, segundo a fala poético-originária de Píndaro: Chega a ser o que és: aprendendo”. É inescusável aprendermos a ser livres na escuta destas questões! Com efeito, não é preciso dizer, portanto, que a figura do educador é essencial e colaborativa para a construção do sujeito leitor, desencobrindo a necessidade da experiência ontológica através das obras de arte, que para Heidegger (2005) é o locus onde acontece a experiência poética do real: “Na obra de arte, a verdade do ente pôs-se em obra na obra. A arte é o pôr-se-em-obra da verdade”. Nesta travessia, convidamos os intérpretes para pensar a leitura contrariando a tradição mimética a qual habitua-se a apreender a arte como cópia de um fundo prévio à obra. Por conseguinte, divulgar trabalhos que pensam o não-lugar do lugar, uma terceira margem, o não-pensado dentro do que se pensa a leitura é contribuir para a construção de práticas de ensino que promovam e valorizem o interesse discente e a aprendizagem poética no interlúdio dos diversos textos. Assim, educar é um ato poético e político que encaminha o humano para o pensar na liberdade ontológica e na abertura para o ilimitado, é o fundo sem fundo onde se conjuga a possibilidade do vir a ser, realizar-se, tornar-se. Como escreve Fagundes (2014): “Será mestre aquele que inspirar, co-mover, sacudir, lançar no abismo cada discípulo, em nome de um desaprender vertiginoso, de uma suspeita diuturna quanto às declarações, ao abuso das cristalizações, do hábito, do automatismo, do lasso esquema estímulo-resposta”. Como decorrência resulta para o intérprete a perquisição fundamental e a tarefa poética diante da qual ele também é convidado a colocar-se, que é o próprio sentido da arte, da leitura, do educar e do existir humano, tendo para isso que rever o modo como nos confrontamos com a tradição literária.

Previsão para publicação: 01/10/2020.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com  contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada aberta até o dia 31/08 de 2020.

 

Temática/tema: O que pode a Educação Ambiental?

Organizador:

Valdir Lamim-Guedes

Biólogo e Mestre em Ecologia - UFOP

Doutor em Educação - USP

Docente no Centro Universitário Senac-SP

Lattes: http://lattes.cnpq.br/3473994189361010

Resumo:

O ambientalismo assumiu contornos de movimento social global devido a graves desastres ambientais como o acidente nuclear de Chernobil, vazamento de gases tóxicos em Bhopal, na Índia, e, citando um caso brasileiro, a contaminação por Césio-137 em Goiânia. Após mais de 30 anos destes casos, como está a questão socioambiental atualmente? Se olharmos apenas para o Brasil, temos um cenário bastante grave com os rompimentos das barragens em Mariana e Brumadinho, Minas Gerais; vazamento de óleo no litoral nordestino; queimadas e a intensificação do desmatamento na Amazônia. Este cenário faz com que nos questionemos sobre o que podemos fazer para evitar ou minimizar as consequências destas emergências socioambientais. A partir disto, nos perguntamos: o que pode a Educação Ambiental?

Com este ebook queremos apresentar uma visão geral sobre a Educação Ambiental e, mais do que levantar problemáticas, propor reflexões e meios de atuação para os nossos leitores. Desta forma, a questão que dá título à obra será abordada a partir de três temáticas principais: fundamentos, práticas e desafios. A perspectiva dos fundamentos é voltada para textos sobre o histórico, legislação e aspectos filosóficos sobre a Educação Ambiental; as Práticas são voltadas aos aspectos pedagógicos e relatos de experiência da área de Educação Ambiental; em relação aos Desafios, buscamos textos reflexivos sobre questões atuais, por exemplo, a problemática em relação à crise ambiental/civilizatória e o desenvolvimento sustentável, em associação com práticas educativas, assim como, mudanças devido a alterações na legislação e a aprovação da Base Nacional Curricular Comum (BNCC).

Previsão para publicação: 01/11/2020.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com  contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada aberta até o dia 31/08 de 2020.

Temática/tema: Cartografias, desterritórios e maquinações na Educação.

Organizadora:

Profa. Dra. Dulce Mari da Silva Voss (UNIPAMPA)

Resumo:

Convidamos pesquisadores/as, educadores/as, estudantes, ativistas e outres que em seus contextos ousam desterritorializar a Educação dos agenciamentos, metanarrativas e macropolíticas que enredam existências e solapam a liberdade de ser e estar no mundo, para perfurar essa ordem e fazer transbordar pensamentos ao encontro de intercessores e aliados que fazem das teorizações de Nietzsche, Foucault, Deleuze e Guattari, dispositivos para potencializar suas pesquisas e experiências no campo da Educação. Entendendo educação como produção rizomática de experimentações e encontros alegres que movem existências dissonantes aos fascismos contemporâneos, às tecnologias de poder e saber e discursos biopolíticos e tantos outros agenciamentos que fabricam desejos delirantes e o fascínio pelo mesmo. Mover desejos dissonantes e inventar a vontade de potência de espíritos livres que se elevem além dessa condição humana precária e servil é o que buscamos ao propor esse Dossiê. Com ele, compor uma maquinaria de guerra onde cada produção torne-se máquina desejante a operar cortes e fluxos em relação à outras, desterritorializando a Educação, estabelecendo diferentes conexões, formas de escapar, resistir, transgredir a ordem capitalística e fascista contemporânea. Todo um jogo de subversão que, ao contrário de nos fixar ao mundo tal como o percebemos, nos permita inventar outros mundos, outras existências, outros corpos, movendo o pensamento em outras direções; pensamentos dissonantes, vibrantes e potencializadores de outras vidas.

Previsão para publicação: 01/11/2020.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com  contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

institucional

contato

E-mail
Telefone
Facebook
Instagram

Editora Bordô-Grená - CNPJ: 35.124.921/0001-40 © Todos os direitos reservados. 2018-2020