top of page

EDUCATION

Chamada aberta até o dia  20/03 de 2024

Temática/tema: "Meu norte é o sul" :  diálogos de história indígena e ensino de história indígena desde Abya Yala

Organizador:

Ramon Nere de Lima

Doutorando em História pelo Programa de Pós-graduação em História da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) na linha de pesquisa Cultura e Etnicidade. Mestre em História pela Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila).

Lattes: http://lattes.cnpq.br/9836437306042654

Resumo:

Este livro propõe uma abordagem crítica da história indígena e ensino de história indígena, explorando-a a partir da perspectiva dos estudos decoloniais e da interculturalidade crítica. Fundamentado nos autores (Aníbal Quijano, Walter Mignolo, Vera Maria Ferrão Candau, Catherine Walsh, Ramón Grosfoguel e Silvia Rivera Cusicanqui), nosso objetivo é lançar luz sobre as histórias, culturas, lutas e resistências dos povos originários da América Latina, bem como possibilidades e experiências de ensino de história da temática indígena em sala de aula, contrapondo narrativas eurocêntricas e promovendo uma compreensão plural e diversas realidades indígenas e suas cosmopercepções.

Palavras-chave: História indígena; estudos decoloniais; interculturalidade; ensino de história indígena; Abya Yala.

Previsão para publicação: 90 dias após encerrar a chamada.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada aberta até o dia  20/05 de 2024

Temática/tema: Educação antirracista na Amazônia Brasileira: retratos da educação básica

Organizadores:

Alef Monteiro

Mestre em Sociologia e Antropologia pela Universidade Federal do Pará (UFPA), é doutorando em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP) e integrante do NEAB Grupo de Estudos Afro-Amazônico (GEAM/UFPA).

Lattes: http://lattes.cnpq.br/0913064139471556

Marilu Marcia Campelo

Doutora em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP), é professora da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Federal do Pará (UFPA) e coordenadora do NEAB Grupo de Estudos Afro-Amazônico (GEAM/UFPA).

Lattes: http://lattes.cnpq.br/8338592541775616

Resumo:

Sabe-se que na Amazônia a presença da população negra é bastante significativa. Para se ter uma ideia, dois dos estados com maior percentual populacional autodeclarado negro no censo brasileiro realizado pelo IBGE em 2010 estão nessa região, a saber: o Pará, com 76,9%, e o Amazonas, com 73,1%.  Considerando esse cenário e a existência de leis e um certo número de políticas públicas de promoção da igualdade racial em âmbito nacional, esta coletânea busca reunir trabalhos que retratem aspectos e situações da educação antirracista na educação básica da Amazônia Brasileira. O público a quem o livro se destina são pesquisadores, gestores, educadores e militantes das arenas educacionais amazônicas.  

Palavras-chave: Educação básica. Educação antirracista. Políticas de promoção da igualdade racial. Escola. Amazônia Brasileira.

Previsão para publicação: 90 dias após encerrar a chamada.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada aberta até o dia  20/05 de 2024

Temática/tema: Literaturas anglófonas como instrumento nas aulas de língua inglesa: reflexões e propostas para o ensino

Organizadoras:

Emanuelle Valéria Gomes de Lima (Doutoranda em Literatura e Interculturalidade (UEPB))

Lattes: http://lattes.cnpq.br/5574947921005590

Giovane Alves de Souza (Professor substituto (UEPB))

Lattes: http://lattes.cnpq.br/0660617479087034

Resumo:

Ao atentarmos, especificamente, para o ensino da literatura no Ensino Médio, notamos que Rildo Cosson (2021) afirma que este ensino se limita a servir como base para o estudo da gramática ou, simplesmente, para que os(as) alunos(as) decorem elementos pertinentes à historiografia ou escolas literárias. Compreendemos, assim, que tudo isso tende a minimizar a experiência que os leitores têm com o texto, e acaba por deixar de lado o processo de fruição da obra de arte lida. Além disso, nas aulas de língua inglesa, o problema se torna ainda mais sério, uma vez que o estudo de literatura não faz sequer parte do cotidiano dessas aulas. A partir do enfoque nas aulas de língua inglesa no Ensino Médio, por exemplo, podemos notar como os próprios documentos que regem os currículos escolares não dão base para o estudo das literaturas de L.I. Nas seções da BNCC pertinentes ao processo de ensino-aprendizagem de L.I. no Ensino Médio, a própria palavra literatura sequer aparece. Apesar da área de Linguagens e suas tecnologias considerar as produções literárias como um possível foco de conhecimento (BRASIL, 2017, p. 477) de modo geral, em se tratando da L.I., observamos como seu estudo está mais direcionado aos aspectos geográficos, históricos e econômicos. Com isso, faz-se necessário notar a relevância do acesso à literatura tanto para professores quanto para alunos(as) de L.I. da educação básica, a exemplo das perspectivas de grandes estudiosos da área como Candido (2014), Colasante (2006), Todorov (2009), entre outros. Pensando nisso, este volume pretende reunir trabalhos acadêmicos interdisciplinares, dentro das Ciências Humanas, que tragam não somente reflexões sobre a utilização de literaturas anglófonas em sala de aula, mas que busquem, também, propor caminhos possíveis para professores(as) da área.

Palavras-chave: Literaturas Anglófonas. Língua Inglesa. Ensino.

Referências:

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC): Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em: 17 mar. 2022.

CANDIDO, Antonio. Direito à Literatura. 5. ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2014. 

COLASANTE, Renata Cristina. O Lugar do Texto Literário na Sala de Aula de Língua Inglesa. Crop: Revista da área de Língua e Literatura Inglesa e Norte-Americana-Departamento de Letras Modernas. São Paulo. v. 11, 2006.

COSSON, Rildo. Letramento literário: teoria e prática. 2. Ed. São Paulo: Contexto, 2021.

TODOROV, Tzvetan. A literatura em perigo. Trad. Caio Meira. Rio de Janeiro: DIFEL, 2009.

Previsão para publicação: 90 dias após encerrar a chamada.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada aberta até o dia  10/11 de 2023

Temática/tema: Direito Educacional: a educação sob uma perspectiva jurídica

Organizadores:

Wendel Vinícius de Freitas Santos

Doutorando em Estudos de Linguagens pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).  Atua profissionalmente na Gestão da Educação Básica e na docência do Ensino Superior - Graduação e Pós-Graduação. Na área da pesquisa, atua na área de Literatura e espaço, Literatura Maranhense, Gestão Escolar e Educacional.  Membro da ANPAE - Associação Nacional de Política e Administração da Educação-, membro do GEPGEFOP - Grupo de Estudos, Política e Gestão de Educação, Formação de Professores e Profissionalização Docente.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/8229721506797469

Fabrício dos Santos Ferreira

Doutorando em Educação pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Maranhão. Membro da Comissão de Defesa da Educação da OAB/MA .    

Lattes: http://lattes.cnpq.br/7891138562780115

Resumo:

Este livro propõe uma compilação de artigos acadêmicos que se dedicarão à análise do Direito Educacional, enfocando a educação a partir de uma perspectiva jurídica. Embasados por referências acadêmicas na área da legislação educacional, como Barbosa (2008), Lima (2019), Silva (2017), Germano (2020), Garcia (2016) e nas disposições da Lei de Diretrizes e Basesda Educação Nacional entre outros documentos normativos, os pesquisadores explorarão questões pertinentes aos direitos e deveres dos diversos atores envolvidos no âmbito do sistema educacional. Os artigos abrangerão temáticas como o acesso à educação, a garantia da qualidade de educação, a promoção da inclusão educacional, as políticas públicas educacionais, a gestão escolar e a responsabilidade jurídica das instituições de ensino. Por meio dessa obra, objetiva-se contribuir para o aprimoramento do entendimento e da aplicação do Direito Educacional, fornecendo reflexões relevantes para pesquisadores,
profissionais d
a área e demais interessados no campo da educação 

Palavras-chave: Palavras-chaves: Educação. Direito Educacional. Legislação Educacional.    

Previsão para publicação: 90 dias após encerrar a chamada.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

bottom of page