HISTÓRIA

Chamada aberta até o dia 31/08 de 2022

 

Temática/tema:#Norastrodopovopreto: Pesquisas e vivências pretas na universidade

Organizadora:

Profa. Ms. Aline Najara da Silva Gonçalves (Docente substituta de História do Brasil e História da Cultura Afro-brasileira na Universidade do Estado da Bahia (UNEB - Campus XIII). É doutoranda em História Social no Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), mestra em Estudos de Linguagens (UNEB), especialista em História e Cultura Afro-Brasileira (FAVIC) e Graduada em Licenciatura Plena em História (UNEB) ).

Lattes: http://lattes.cnpq.br/9545580319840678

Resumo:

Entre os meses de abril e junho de 2021, em meio à pandemia de Covid-19 e o desafio de ministrar aulas remotas para estudantes de Licenciatura em História do campus XIII da Universidade do Estado da Bahia, a Profa. Ms. Aline Najara da Silva Gonçalves ministrou o Curso de Extensão #NoRastroDoPovoPreto: Pesquisas e vivências pretas na Universidade, com a intenção de propor reflexões acerca do papel da universidade no enfrentamento ao racismo, a importância da aplicabilidade da Lei 10639/03 e a visibilização de pesquisas e pesquisadoras/es negras/os que atuam em universidades públicas do país.
A Lei 10.639/03 estabelece a obrigatoriedade do ensino da História da África e cultura afro-brasileira nas escolas da rede pública e particular de ensino, bem como a valorização da luta dos negros e sua participação no processo de transformação da sociedade. Esta determinação foi estendida ao espaço da universidade em 2004, através da Resolução no1 de 17 de junho de 2004, do Conselho Nacional de Educação.

Tendo em vista a formação étnico-racial e social da população brasileira, percebe-se que o conhecimento acerca da História e Cultura Afro-brasileiras é uma necessidade para o entendimento da dinâmica socioeconômica da contemporaneidade, principalmente no que diz respeito às populações negras, todavia, apesar de passados quase vinte anos desde a promulgação da referida Lei, para muitos estudantes e professores, tratar das trajetórias, experiências e vivências da gente negra ainda se apresenta como um desafio, especialmente no que diz respeito ao enfrentamento do racismo no espaço escolar [e fora dele].
Nesta perspectiva, esta obra é direcionada a estudantes de graduação e profissionais da área de Educação, principalmente, bem como a todas as pessoas que se interessem pela temática relacionada a Educação para as relações Étnico-Raciais, com foco na lei 
10639/03. Propõe-se, assim, a publicação das pesquisas, trajetórias e experiências compartilhadas e discutidas durante o Curso, que contou com 90 participantes ativos e 10 palestrantes que versaram sobre temas relacionados à História e Cultura Afro-brasileiras, a saber: Leis emancipacionistas e pós-abolicionismo; Protagonismos e Trajetórias da gente negra; Escrevivências na Literatura de Mulheres Negras; Resistências e Religiões de Matriz Africana e Livros didáticos e Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira.
Para fundamentar a análise dos temas acima, temos como alicerce os conceitos de racismo e anti-racismo na Educação (Lélia Gonzalez, Nilma Lino Gomes, Eliane Cavalleiro, Kabenguelê Munanga); quilombismo / quilombo (Abdias do Nascimento e Beatriz Nascimento); protagonismo, trajetórias, pós-abolicionismos e cidadania (Flávio Gomes, Ana Flávia Magalhães Pinto, Hebe Mattos, Clóvis Moura) e escrevivências (Conceição Evaristo).

Palavras-chave: Lei 10639/03; Pesquisa; Educação Antirracista.

Previsão para publicação: 90 dias após encerrar a chamada.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada aberta até o dia 31/10 de 2022

 

Temática/tema: Meio ambiente e dilemas do contemporâneo: temas, abordagens e teorias

Organizador:

Santiago Silva de Andrade (Possui graduação em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2003) e doutorado em História (2010) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Realizou estágio pós-doutoral em História Ambiental no Departamento de Historia da Universidad Nacional de Colombia (Bogotá). Foi professor de História Ambiental e de História Agrária do Departamento de Educação do Campo da Universidade Federal de Rondônia - Campus de Rolim de Moura (2015-2020). Atualmente, leciona no Departamento de Administração da Universidade Federal de Rondônia. É membro do Academic Committee of Latin America - International Network of Environmental Enforcement and Compliance (INECE) ).

Lattes: http://lattes.cnpq.br/3076111776829758

Roger Domenech Colacios (Pós-Doutor em História Ambiental pela Universidade Estadual Paulista (2017). Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (2014). Mestre em História Social pela Universidade de São Paulo/USP (2009). Graduação em História pela Universidade Estadual de Londrina (2006). Docente de Metodologia e Técnica de Pesquisa (METEP) do Departamento de Fundamentos da Educação (DFE) na Universidade Estadual de Maringá (UEM). Docente do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Estadual de Maringá (PPH/UEM) Coordenador do Laboratório de Pesquisa em Educação e História Ambiental (LEHA) da UEM. Membro do Laboratório de História e Meio Ambiente (LABHIMA) da UNESP/Assis e do Laboratório de Pesquisa em História e Memória Social (LAHMEM) da UEL.)

Lattes:  http://lattes.cnpq.br/0041482937454960

Resumo:

Esta obra pretende reunir textos voltados para a análise dos problemas e questões concernentes ao meio ambiente, tanto em seus processos históricos, quanto em sua relação com outras dinâmicas e esferas da atividade humana, como a economia, a política e a cultura. Serão bem-vindos trabalhos na área das Ciências Humanas e Sociais, desde que ancorados em propostas de reflexões teóricas e/ou de abordagens inovadoras e críticas sobre os temas relacionados ao meio ambiente.
Palavras-chave: Meio ambiente; teoria social; ciências humanas e sociais.

Previsão para publicação: 90 dias após encerrar a chamada.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada aberta até o dia 31/10 de 2022

 

Temática/tema: Política, justiça e administração no Brasil: abordagens sobre poder, violência e resistência sob uma perspectiva histórica (1822 a 2022)

Organizadores:

Camila Melo Silveira da Silva (Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – PPGH/UFRGS. Mestre em História do Brasil pela Universidade Federal do Piauí (PPGHB-UFPI), e Bacharel em História pela mesma instituição.)

Lattes: http://lattes.cnpq.br/5722102434388966


Paulo Henrique Mattos de Jesus (Doutorando do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Maranhão – PPGHis/UFMA. Mestre em História pela Universidade Federal do Maranhão (PPGHis-UFMA), e Bacharel em História pela mesma instituição. Pesquisador do Grupo de Pesquisa em Poderes e Instituições, Mundos do Trabalho e Ideias Políticas, ligado ao Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Maranhão (POLIMT/PPGHIS-UFMA), e do Grupo de Pesquisa Militares, Política e Fronteiras na Amazônia (linha de pesquisa Militares, Instituições, Guerras e Policiamento), ligado ao Departamento de História da Universidade Federal do Pará.)

Lattes: http://lattes.cnpq.br/4608049610045760

Resumo:

Considerando o atual contexto político do Brasil em torno das instituições e dos sujeitos, propomos uma temática que nos convoque a refletir sobre as de caráter jurídico e administrativo no Brasil, duzentos anos após a ruptura com Portugal. Para tanto, a coleânea reunirá trabalhos que dialoguem com dimensões do direito, os “projetos de Brasil” produzidos a partir das emblemáticas codificações (FONSECA, 2006), mecanismos de criminalização do Estado para com determinados grupos étnico-raciais e sociais, e o exercício da cidadania a partir dos operadores do Direito. (GARRIGA, 2020).

Palavras-chaves: Política; Poder; Justiça.

Referências:

FONSECA, Ricardo Marcelo. A cultura jurídica brasileira e a questão da codificação civil no século XIX. In: Revista da Faculdade de Direito da UFPR, n. 44, p. 61-76, 2006. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/direito/article/view/9415

GARRIGA, Carlos. “De qué hablamos los historiadores del derecho cuando hablamos de derecho?” In: Revista Direito Mackenzie. São Paulo, v.4, n. 1,jan/abr 2020. Disponível em: http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/documentacao_e_divulgacao/doc_biblioteca/bibli_ servicos_produtos/bibli_boletim/bibli_bol_2006/Rev-Dir-Mackenzie_v.14_n.01.pdf

Previsão para publicação: 90 dias após encerrar a chamada.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada aberta até o dia 30/11 de 2022

 

Temática/tema: Imprensa e História: possibilidades de pesquisa em História do Brasil a partir do estudo da imprensa periódica

Organizador:

Jônatan Coutinho da Silva de Oliveira (Doutorando/História Social-UFRJ)

Lattes: http://lattes.cnpq.br/0242510017197807

Resumo:

O presente livro dedica-se a abrigar uma série de estudos sobre a História do Brasil Império e Republicano que tenham como fonte e/ou objeto de pesquisa a imprensa periódica. Este tema adquire cada vez mais relevância histórica na medida em que se aprofundam as diversas formas de mídia e de divulgação de notícias e informações na sociedade contemporânea. Portanto, analisar o papel e as formas de inserção da imprensa na política, na cultura, na economia e na sociedade de modo geral, passa a ser critério importante para a análise e entendimento não somente da História do Brasil, mas também para a própria compreensão do mundo contemporâneo.

Palavras-chaves: Imprensa – História do Brasil - Mídia

Público-alvo
Estudantes, pesquisadores e professores das áreas de História, Ciências Sociais, Ciência Política, Sociologia, Relações Internacionais e Comunicação/Jornalismo.

Referências:

BARROS, José D’Assunção. Fontes Históricas. Introdução aos seus usos historiográficos. Rio de Janeiro: Vozes, 2019.
CAMARGO, Julia Faria. Mídia e Relações Internacionais. Lições da Invasão do Iraque em 2003. Curitiba: Juruá, 2012.
CAPELATO, Maria Helena. Os Arautos do Liberalismo. Imprensa paulista (1920- 1945). São Paulo: Brasiliense, 1989.
COHEN, Ilka Stern. Diversificação e segmentação dos impressos. In.: LUCA, Tania Regina de; MARTINS, Ana Luiza (Orgs.). História da Imprensa no Brasil. São Paulo: Contexto, 2008.

Previsão para publicação: 90 dias após encerrar a chamada.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.