top of page

LITERATURA

Chamada aberta até o dia 31/08 de 2023

Temática/tema: O Romance Contemporâneo do século XXI - volume II

Organizadoras:

Gisele Meire Tita Nazário da Silva (Doutoranda - PPGEL/UFMT)

Lattes:  http://lattes.cnpq.br/1204002072432698

Rayssa Duarte Marques Cabral (Doutoranda - PPGEL/UNEMAT

Lattes:  http://lattes.cnpq.br/7355810089901725

resumo:

Como leciona Regina DalCastagnè (2012), é notório que os estudos e o próprio fazer literário têm se preocupado, cada vez mais, com os problemas ligados ao acesso à voz e à representação de variados grupos sociais. Se para Georg Lukács (2009 [1965]) o romance é a epopéia burguesa; para nós, contemporâneos, o romance tornou-se um gênero subversivo, pois passou a abarcar o modo de viver e estar no mundo das mais variadas classes sociais. Nesse sentido, trata-se de um gênero democrático, inclusivo e político, pois tem se apresentado de forma diversificada; não só em termos de autoria, mas também com novas perspectivas dentro das narrativas, sejam elas por parte de narradores ou de personagens. Se Ítalo Calvino (2007 [1991]) justificou em um conjunto de ensaios, por que ler os clássicos; pretendemos fazer tarefa semelhante, respondendo à indagação: por que ler os contemporâneos? Para tanto, esta proposta de ebook acolherá trabalhos que tenham como objeto de estudo romances contemporâneos publicados a partir do século XXI, sejam eles brasileiros ou estrangeiros, a partir de perspectivas das mais variadas vertentes teóricas.

Palavras-chave: Romance contemporâneo. Romance brasileiro. Romance estrangeiro.

Referências:

CALVINO, Italo. Por que ler os clássicos. Tradução: Nilson Moulin. São Paulo: Companhia das Letras, 2007 [1991].

DALCASTAGNÈ, Regina. Literatura brasileira contemporânea: um território contestado. Vinhedo: Editora Horizonte; Rio de Janeiro: Editora da Uerj, 2012.

LUKÁCS, Georg. A teoria do romance: um ensaio histórico-filosófico sobre as formas da grande épica. Tradução, posfácio e notas: José Marcos Mariani de Macedo. 2. ed. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2009 [1965].

Previsão para publicação: 90 dias após encerrar a chamada.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada aberta até o dia 10/11 de 2023

Temática/tema:  Coleção "Por uma história da Literatura Brasileira Contemporânea: 1975 a 2021"

Organizador:

Wellington Furtado Ramos (Professor doutor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS )

Lattes:  http://lattes.cnpq.br/2232358510112890

resumo:

A escrita da história da literatura brasileira remonta aos repertórios biobibliográficos compostos por notícias sobre autores e livros colecionadas sob a forma de verbetes dispostos em ordem alfabética. Roberto Acízelo de Souza (2018, p. 29) destaca que, “nesse gênero, possuímos a Biblioteca lusitana, monumento barroco em quatro volumes, publicados em Lisboa, de 1741 a 1759, de autoria do abade Diogo Barbosa Machado (1682-1772), no qual se contam diversos verbetes dedicados a autores nascidos no Brasil”. Entretanto, ainda que se possa remontar a historiografia da literatura brasileira ao século XVIII nesses moldes, será no século XIX que a história literária brasileira ganhará sua forma narrativa e se estabelecerá como uma disciplina consolidada como se pode ler, sobretudo, na História da Literatura Brasileira (1888), de Silvio Romero. Em sua forma narrativa, a escrita da história literária nacional ganhará diversas versões já assentadas na crítica brasileira, entre as quais se destacam: História da literatura brasileira (1954), de Antônio Soares Amora; A literatura no Brasil (1955-1959), dirigida por Afrânio Coutinho; Formação da literatura brasileira ((1959), de Antonio Candido; A literatura brasileira, coleção da editora Cultrix que contou com diversos autores, como José Aderaldo Castello, Antônio Soares Amora, dentre outros; História concisa da literatura brasileira (1970), de Alfredo Bosi; De Anchieta a Euclides (1977), de José Guilherme Merquior; História da Literatura Brasileira (1983-1989), de Massaud Moisés; A literatura brasileira: origens e unidade (1999), de José Aderaldo Castello; e História da literatura brasileira (2007), de Carlos Nejar.

Se, por um lado, pode-se, hoje, em face aos mais variados dispositivos teórico-críticos, colocar em dúvida o esforço comum dessas histórias da literatura nacional brasileira na busca de um caráter de unidade para a nossa produção, por outro lado, percebemos que o impacto dessas propostas revisitadoras (e não revisionistas) aliado a uma incerteza crítica, decorrente do “calor do momento” das produções de nosso tempo, parecem ter arrefecido os esforços de produção de uma escrita da história da literatura brasileira contemporânea que ecoe, sem reproduzir acriticamente, os modelos historiográficos do século XX, sobretudo com obras tecidas no afã de subsidiarem o ensino, como no caso de manuais aos moldes de A literatura brasileira através dos textos (2012, 29ª ed. rev. e ampl.).

É no bojo dessa reflexão que se insere a proposta desta coleção Por uma história da literatura brasileira contemporânea, que visa reunir, ao modo de uma cartografia não exaustiva da produção literária brasileira, um panorama dos autores, temas e estilos das obras produzidas a partir de 1975. Os livros que comporão a coleção, se bem sucedidas as chamadas, poderão ser organizados em perspectiva diacrônica e de gênero literário abarcando autores cujas obras foram publicadas de 1975 aos dias atuais.

Cronograma Proposto:

Volume 2: 1º/07/2023 a 31/10/2023  

Volume 3: 1º/10/2023 a 31/12/2023  

Volume 4: 1º/01/2024 a 31/05/2024  

Volume 5: 1º/09/2024 a 31/11/2024  

Volume 6: 1º/03/2025 a 31/05/2025

Volumes Propostos:

Volume 2 - Por uma história da literatura brasileira contemporânea: poesia (1975-2000) - Organizadores: Wellington Furtado Ramos e Fhilipe Germano Rigamonte

Volume 3 - Por uma história da literatura brasileira contemporânea: narrativa (1975-2000) - Organizadores: Wellington Furtado Ramos e Ana Luiza Postingher

Volume 4 - Por uma história da literatura brasileira contemporânea: poesia (2001-2021) - Organizadores: Wellington Furtado Ramos e Luiz Antonio Piesanti

Volume 5 - Por uma história da literatura brasileira contemporânea: narrativa (2001-2021) - Organizadores: Wellington Furtado Ramos e Flávia Martins Malaquias

Volume 6 - Por uma história da literatura brasileira contemporânea: drama (1975-2021) - Organizadores: Wellington Furtado Ramos e Cecília Guedes Borges de Araújo

Referências:

FRAYZE-PEREIRA, João A. Arte, Dor: Inquietudes entre Estética e Psicanálise. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2005.

MANDIL, Ram. O efeito da Letra: Lacan leitor de Joyce. Rio de Janeiro, ContraCapa Livraria / Faculdade de Letras UFMG, 2003.

MEZAN, Renato. A vingança da Esfinge: Ensaios de Psicanálise. São Paulo, Casa do Psicólogo, 2002.

Previsão para publicação: 90 dias após encerrar a chamada.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

Chamada aberta até o dia 30/12 de 2023

 

Temática/tema: Literatura e tradução: aspectos linguísticos e intersemióticos na difusão da arte

Organizadora:

Maria Ellem Souza Maciel  (Doutoranda em Estudos Contemporâneos – UCoimbra, Portugal).

Lattes: http://lattes.cnpq.br/2578263536603217

Resumo:

Em A tarefa do tradutor, Benjamin (2008) exalta a constante renovação que a tradução permite à obra original. Em se tratando de obras literárias, sua reconfiguração para outro idioma ou para outro meio de transmissão pode alçá-las a patamares de difusão jamais considerados pelo/a autor/a, originalmente. Nesse sentido, a presente proposta abre-se à análise comparativa de diferentes versões artísticas, tanto no que se refere a aspectos linguísticos, no caso de traduções entre idiomas, quanto a aspectos de diferenciação entre mídias, no caso de traduções intersemióticas (Plaza, 2003).

Palavras-chave: Literatura; Difusão artística; Análise comparativa.

Previsão para publicação: 90 dias após encerrar a chamada.

Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail bordogrena@editorabordogrena.com contendo no campo "assunto" o tema para o qual o estudo será submetido.

Consulte as normas de publicação.

bottom of page